jusbrasil.com.br
17 de Setembro de 2021

Como trazer confiança para o cliente na hora de celebrar um contrato escrito?

Entenda como ter um contrato de prestação de serviços que traga confiança para o seu cliente e te ajuda na negociação

Elisama Tamar, Advogado
Publicado por Elisama Tamar
há 2 meses

Os contratos são a base da economia, ainda que para alguns celebrar negociações formalizadas possa assustar.

Tomas (nome fictício), eletricista autônomo que presta serviços a pessoas físicas e jurídicas, passou por isso. Ao querer formalizar seus serviços com contrato escrito seus clientes começaram a ficar receosos em contratá-lo.

Isso porque, para alguns o contrato escrito é sinônimo de burocracia e talvez até de ameaça!

Contudo, o contrato não vem para penalizar o cliente ou burocratizar obrigações! Seu objetivo é trazer segurança, eficiência, rentabilidade e lucratividade para o trabalho.

Por isso, caso você esteja passando pela mesma situação de Tomas, ou deseje celebrar negócios com contratos escritos e não tem certeza que seu cliente receberá bem, vou apresentar alguns pontos importantes para minimizar esse receio e aumentar a credibilidade do seu serviço.

Qual é a hora de usar um contrato escrito?

O contrato escrito deve ser utilizado desde a primeira negociação.

A segurança contratual de maior eficiência vem por meio de uma atenção jurídica desde a origem do negócio. Isso porque seu cliente estará sempre acostumado as obrigações do contrato e você estará sempre desfrutando dos benefícios dele.

Ou seja, o quanto antes introduzir o contrato escrito direcionado ao seu serviço, melhor para seu negócio.

Agora, se você já celebra contratos verbais e deseja migrar para os contratos escritos é necessário informar o seu público a sua nova forma de trabalho.

Muitos clientes podem se sentir receosos com a existência de contrato, ou até mesmo amarrados, em razão do contrato ser escrito.

Por isso, o melhor a se fazer é ter um contrato adequado a legislação e que não tenha a intenção de prejudicar seu cliente em caso de inadimplência ou quebra contratual.

Muito pelo contrário, a intenção seria que as chances de inadimplência e as quebras contratuais reduzissem ao máximo e caso viessem a acontecer, não haveria tanto transtorno para solucionar.

Dito isso, separei algumas vantagens importantes para seu negócio, a longo prazo, quando se adere ao contrato escrito:

  • Caso seu cliente queira rescindir com um contrato ele não poderia fazer de forma abrupta, o deixando com prejuízos ou com o planejamento afetado.
  • Você não estaria constrangido a fazer serviços além do que foi acordado, em razão das delimitações contratuais.
  • As chances de inadimplência seriam bem menores em razão da segurança do contrato. Mas caso seu cliente ainda venha a ficar inadimplente a forma de resolução estará escrita no contrato.
  • Os seus serviços são vistos com maior credibilidade devido a formalização contratual. Isso é fundamental para prevalecer a longo prazo.

Agora, como ter um contrato que o seu cliente não se sinta inseguro ao te contratar? Bom, vamos ver isso no próximo tópico.

Dicas para diminuir o receio do cliente no contrato escrito

Para diminuir o receio do cliente é necessário, de modo primordial, ter um contrato bem redigido e adequado ao negócio.

Utilizar de contrato genéricos, confusos e ambíguos só trará mais indisposição em assinar.

Por isso, é importante perceber que não basta um contrato para ter segurança, é preciso um contrato estruturado e específico, a fim de evitar conflitos e desentendimentos.

Com isso, podemos ir para as dicas que vão contribuir para o seu contrato escrito não trazer desconfiança ao seu cliente:

1. Estabelecer multa adequada de inadimplência

Algumas vezes os prestadores de serviços desejam em seus contratos multas exorbitantes para garantir que o cliente não deixe de efetuar o pagamento.

Contudo, os contratos que possuem multas desproporcionais são os que trazem mais problemas.

Isso porque ambas as partes são detentoras de direitos na relação e a garantia de segurança contratual é quebrada com o abuso.

Com o abuso surge a possibilidade de revisão contratual via processo judicial. Algo que pode ocasionar prejuízos e desgastes.

Por isso, não acredite que grandes multas contribuem para seu negócio. O ideal é que seu cliente seja o foco e os seus serviços sejam formalizados com um contrato escrito de multa proporcional que atenda a lei e também ao objetivo de reduzir as inadimplências.

Caso você queira saber qual o porcentual razoável para o seu contrato, eu indico o artigo Saiba qual o limite da multa contratual.

2. Garanta a possibilidade de rescisão

Isso parece um tanto confuso inicialmente, mas já vou explicar!

O contrato escrito não possui o objetivo de prender o cliente aos seus serviços. Principalmente se não for mais interessante para ele. O Código Civil Brasileiro no artigo 598 determina prestação de serviços pelo período máximo de 4 anos:

Art. 598. A prestação de serviço não se poderá convencionar por mais de quatro anos, embora o contrato tenha por causa o pagamento de dívida de quem o presta, ou se destine à execução de certa e determinada obra. Neste caso, decorridos quatro anos, dar-se-á por findo o contrato, ainda que não concluída a obra.

Trazer a possibilidade de rescisão não se trata de não estabelecer prazo final do contrato. Você deve sim possuir prazo final da prestação de serviços no contrato.

No entanto, caso seu cliente queira rescindir em período anterior, ele poderá. desde que arque com uma multa de valor adequado.

Desse modo, trará a seu cliente a liberdade da possibilidade de distrato, mas não será penalizado pela quebra contratual abrupta.

Se você quer entender sobre distrato, acesse o artigo sobre distrato na prestação de serviços com uma análise de caso real: link.

3. Utilize do quadro resumo no seu contrato

O quadro resumo é um ótimo meio para o entendimento negociações.

Como o próprio nome sugere é uma página que confere o resumo das questões principais do contrato para as partes envolvidas.

Isso possibilita maior aceitação do cliente. As informações mais simples estão resumidas em um quadro resumo do contrato e podem ser lidas antes da leitura do contrato principal.

Por isso, se o seu cliente possui receio no contrato escrito, esse documento poderá ajudar.

Conclusão

O contrato ao figurar como base da economia tem como necessidade ser bem redigido.

E sua segurança não deve ser aplicada somente a uma das partes, ainda que somente uma tenha feito o contrato. Deve haver segurança contratual para ambas as partes.

Desse modo, a melhor forma de garantir que seu cliente esteja satisfeito é ter o interesse dele contemplado no contrato escrito.

Assim, ao formalizar seus serviços com contrato escrito, procure um profissional de sua confiança para estabelecer as cláusulas da melhor forma para seu negócio.

O que achou desse artigo? Deixe nos comentários suas considerações!

Ficou alguma dúvida? Entre em contato comigo elisamatamar.adv@gmail.com!!

Confira alguns outros conteúdos relevantes:

Como um contrato pode trazer segurança jurídica?

Como adequar o contrato de prestação de serviços a Lei Geral de Proteção de Dados?

15 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

De grande valia, agora vou ficar seguro quando me informarem de realização fática de contrato.
Obrigado Dra. Elisama. continuar lendo

Obrigada pelo comentário sr Cláudio! A disposição continuar lendo

Todos os envolvidos desejam ter suas necessidades contempladas no contrato.

Muito bom! continuar lendo

Verdade sra. Leuzirene! Obrigada pelo comentário! continuar lendo

Mais um artigo extremamente esclarecedor.

Parabéns doutora. continuar lendo

Obrigada pelo comentário Dr! continuar lendo

Boa tarde!
Parabéns! Pela ótima abordagem do tema. Que Deus te abençoe sempre! continuar lendo

Boa tarde! Obrigada Zilene! continuar lendo